Ilustração Olaf Hajek

Beleza sustentável

Ilustração Olaf Hajek

Toda Cremilda que se preze adora comprar e testar um milhão e meio de creminhos, certo? É sair uma novidade de beleza que ficamos todas doidinhas para adquirir! Às vezes nem chegamos a usar o produto até o final, deixando aquele “restinho” infinito no canto da pia do banheiro para “o caso de precisar um dia”. Só que quase ninguém lembra de que todos esses potes milagrosos não surgem do nada e, principalmente, não viram pó depois do uso. Acabado o produto, ou vencida a sua validade, o que você faz com ele?

Sua primeira e pseudo-ecológica resposta, com certeza, foi “jogo no lixo, ora!”. Bem, a priori, essa conduta está correta, legalmente falando, mas será que ela está ambientalmente adequada?

Nossa Política de Resíduos Sólidos, Lei nº 12.305, de 12 de agosto de 2010, é uma lei que dispensa o anti-age, já que mal saiu do forno. Mas, como toda menina muito novinha, ela ainda precisa de certo amadurecimento, infelizmente.

O diploma legal mencionado instituiu a “responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos, a ser implementada de forma individualizada e encadeada, abrangendo os fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes, os consumidores e os titulares dos serviços públicos de limpeza urbana e de manejo de resíduos sólidos”. Em outras palavras, após o advento desta legislação, todos nós, consumidores, fornecedores, fabricantes e Poder Público somos responsáveis pelo descarte adequado de todo o resíduo por nós produzido.

Desta maneira, você, leitora informada, é responsável pelo descarte correto de todos os potinhos de cosméticos que utiliza!

Mas como posso descartar de maneira correta?, você deve estar se perguntando. Bem, o descarte totalmente correto dos produtos (legalmente falando) ainda carece de regulamentação, mas existem algumas condutas que nós, consumidoras, podemos assumir em benefício do meio ambiente.

 

Hoje em dia não tem mais se adotado o conceito de dividir o lixo entre papel, madeira, metal, etc. O programa da Lei pede apenas para que se divida entre “reciclável” e “não reciclável”.A divisão será feita depois, pela cooperativa. Isso porque a maioria das pessoas não sabe dividir e grande parte das embalagens possui material que mistura papel, metal e plástico. Portanto, sendo a embalagem reciclável, não se preocupe com o material, apenas mande para a reciclagem. Aqui nesse link tem uma cartilha da ABRE – Associação Brasileira de Embalagem – com informações completas sobre rotulagem ambiental!

O ideal da nossa novíssima Política Nacional de Resíduos Sólidos é que todo produto seja produzido em embalagem reciclável e que todo posto de venda tenha também posto de coleta de resíduos. Mas, enquanto esse sonho não se realiza, vamos fazendo a nossa parte!

Sejamos Cremildas Sustentáveis!

4 Comments

  • Cristiana Bidart
    02/07/2013 20:36

    Adorei a matéria” Beleza sustentável” útil e gostosa de ler…. parabéns!!! já sou sua fã… bjos…

  • Lorena
    10/06/2013 23:58

    Outra ideia é reaproveitar os potinhos para outros usos…alguns deles podem ser transformados em porta-brincos ou anéis, se os customizarmos, por exemplo!! bjs

  • Marina Ribeiro
    24/09/2012 11:15

    Muito legal levantar essa questão ambiental! Temos que nos policiar e evitar sempre o desperdício, e saber qual a forma correta do descarte daquele material. Parabéns pelo post!!

  • ANA MARIA SARAIVA ARAUJO
    23/09/2012 17:24

    Parabéns adorei o Layout novo, e o texto esta agradável de se ler, bjus, sucesso.

Leave a Reply